Estudo de gestora aponta que aumento no preço do carbono pode derrubar ações globais em até 20%

Um aumento na taxação de carbono poderia derrubar o mercado global de ações em até 20%. A análise é da gestora de ativos britânica Kempen Capital Management.

 

Entretanto, a gestora diz que o aumento dos preços de carbono poderia representar uma oportunidade de valorização de ações de empresas.

 

“Há um forte potencial de alta”, afirma Nikesh Patel, chefe de estratégia de investimento da Kempen. “Por exemplo, se houver um imposto de carbono mais alto, esse dinheiro precisará ser gasto, por exemplo, em infraestrutura verde e energia limpa”, diz.

 

Segundo a Kempen, quanto maior a demora no aumento dos preços de carbono, mais agressiva será a regulação para reduzir as emissões – e isso afetará de forma mais forte o preço dos ativos.

 

A queda de 20% ocorreria num cenário de aumento do preço de carbono em US$ 75 por tonelada.

 

Atualmente, o preço do carbono está abaixo de US$ 30/t na maior parte das 64 iniciativas regionais de precificação de carbono, segundo dados do Banco Mundial.

 

Segundo o Fundo Monetário Internacional, para os países cumprirem a meta do Acordo de Paris – aumento de temperatura de até 2ºC – o preço da tonelada de carbono deve estar no patamar de US$ 75/t.

 

As informações são do Capital Reset.

 

O estudo completo pode ser lido aqui.

GOSTOU? COMPARTILHE:

Compartilhar no email
E-mail
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp