nOTÍCIAS E ATUALIDADES

O BNDES pretende ampliar sua captação em títulos verdes. Leia em Convergência pelo Brasil.

BNDES vai ampliar emissão de títulos verdes

Pioneiro no país na emissão de títulos verdes no setor de energias renováveis, o BNDES pretende ampliar sua captação em títulos sustentáveis e sociais. O banco lançou um plano com mais cinco setores: eficiência energética, transporte limpo, prevenção da poluição, uso do solo e saneamento básico.   Em entrevista a Capital Reset (leia texto completo aqui), a CFO do BNDES, Bianca Nasser, falou sobre o crescimento na oferta de títulos verdes: “O investidor estrangeiro é mais maduro em relação a essa agenda, mas achamos que tem um bom interesse no mercado nacional. De fato, estávamos aguardando o anúncio desse framework sustentável para repensar (captações). Não temos prazo específico, mas a expectativa é acessar o mercado interno ainda este ano”.   Em 2017, o BNDES emitiu um título verde de US$ 1 bilhão no mercado externo. Em 2020, captou R$ 1 bilhão no mercado interno para financiar projetos eólicos e solares.

Montadoras de carros anunciam planos para interromper a produção de veículos com motor de combustão. Leia em Convergência pelo Brasil.

Montadoras têm planos para aposentar motor a combustão

Cada vez mais montadoras de carros anunciam planos para interromper a produção de veículos com motor de combustão. Aos poucos elas estão aderindo aos motores elétricos.   Reportagem do UOL cita que Volvo, Volkswagen, Audi, Daimler e GM têm planos para aposentar os veículos que utilizam combustíveis fósseis. A GM por exemplo, anunciou que em 2035 terá apenas carros elétricos.   Segundo o Inventário de Emissões Atmosféricas do Transporte Rodoviário de Passageiros do Município de São Paulo, carros são responsáveis por quase 73% das emissões de gases do efeito estufa na capital paulista.

Cientistas defendem pesquisas a geoengenharia solar. Saiba mais em Convergência pelo Brasil

Cientistas defendem aumento de pesquisas sobre geoengenharia solar

Um grupo influente de cientistas americanos defendeu uma ideia considerada controversa na tentativa de evitar o aquecimento global: a geoengenharia solar.   A geoengenharia solar é uma técnica para evitar que os raios solares atinjam – e aqueçam – o planeta. Isso pode ser feito pela emissão controlada de partículas na atmosfera que refletem a energia solar.   Na prática, essa técnica pode resfriar o planeta.   No dia 25, um grupo de cientistas pediu que o governo dos Estados Unidos invista pelo menos US$ 100 milhões de dólares em pesquisas sobre a geoengenharia solar.   No estudo, feito pela National Academies of Sciences, Engineering and Medicine, os cientistas dizem que é preciso mais pesquisa acerca da efetividade e efeitos colaterais da técnica.   Na publicação, os pesquisadores reconhecem os riscos da geoengenharia solar. Entre os possíveis efeitos colaterais eles citam: (1) o risco de mudança de padrões climáticos regionais